Solo

SINSolo – Uma ferramenta precisa e assertiva para a recomendação de corretivos e fertilizantes

A Unity Agro disponibiliza a seus clientes e parceiros, além de sua linha de fertilizantes foliares de alta tecnologia, uma linha de ferramentas e serviços que asseguram recomendações e práticas de manejo de lavouras assertivas e precisas, visando obter altas produtividades agrícolas, aliado à gestão eficiente dos recursos.

O SINSolo (Sistemas Inteligentes em Nutrição – Solo) é uma ferramenta destinada à recomendação de corretivos de solo e fertilizantes, que se vale da metodologia do balanço de nutrientes para a execução de seus cálculos. Para isso, aliado à análise de solo convencional, solicita a realização de uma análise de extrato em saturação, que estimará, de forma sintética, a presença dos nutrientes na solução do solo, possibilitando recomendações mais precisas para alguns elementos pelos quais as metodologias padrão de análise de solo apresentam altíssima variabilidade ou baixa correlação com a disponibilidade desses nutrientes às plantas, como o caso dos micronutrientes metálicos (Cu, Fe, Mn e Zn).

Santos et al. (2008) recomendam que as tabelas convencionais de recomendação de nutrientes, como a do exemplo abaixo para o estado do Paraná (Tabela 1) publicada por Embrapa (2013) citando Sfredo et al. (1999), sejam substituídas por sistemas de cálculo que contenham maior base científica. Dentre esses sistemas, o método do balanço de nutrientes (presente no SINSolo) é o proposto como mais promissor.

Tabela 1 - Indicação de adubação com fósforo para a soja no Estado do Paraná em solos com teor de argila > 40% Tabela 1

*Adaptada de Embrapa (2013), citando Sfredo et al. (1999)

Nos sistemas de balanço de nutrientes (SINSolo), as recomendações advêm de funções da demanda de nutrientes pelas lavouras para a obtenção de determinada produtividade, e funções que estimam o fornecimento de nutrientes pelo sistema solo. Dessa forma, é possível realizar recomendações mais precisas, pois para cada nível de produtividade e níveis de teores de nutrientes no solo, resultarão em dosagens de fertilizantes e corretivos distintas. Isso não ocorre nas tabelas convencionais de recomendação, como no exemplo da Tabela 1, onde para qualquer produtividade da cultura da soja e para valores de P no solo com variação de 100%, como os de 3,0 e de 6,0 mg dm-3, a recomendação de fósforo (P2O5) é de 80 kg ha-1. Já no método de balanço de nutrientes do SINSolo, tomando referência em uma análise real de um solo argiloso do estado do Paraná, para 60 sc ha-1 de produtividade a recomendação de fósforo é de 90 kg ha-1 de P2O5 para o nível e 3 mg dm-3 e 75 kg ha-1 de P2O5 para o nível de 6 mg dm-3. Já para a produtividade de 80 sc ha-1 as recomendações se elevam para de 108 kg ha-1 de P2O5 para o nível e 3 mg dm-3 e 93 kg ha-1 de P2O5 para o nível de 6 mg dm-3.

Assim sendo, observamos que as recomendações rígidas, como aquelas presentes nas tabelas convencionais (Tabela 1), tendem a indicar doses insuficientes ou excessivas de fertilizantes e corretivos. Se notarmos o exemplo apresentado anteriormente, para a produtividade de 60 sc ha-1 quando o teor de P no solo for 3 mg dm-3 a dose indicada de 80 kg ha-1 de P2O5 será insuficiente para suprir os 90 kg ha-1 de P2O5 demandados; por outro lado quando o teor for de P 6 mg dm-3 a dose de 80 kg ha-1 de P2O5 excede os 75 kg ha-1 de P2O5 demandados. Logo, é possível demonstrar a maior precisão quando utiliza-se dos métodos de balanço de nutrientes (como o presente no SINSolo), permitindo recomendações mais precisas e que evitem desperdícios de recursos ou possibilitem atingir maiores patamares de produtividade.

Referências Bibliográficas

EMBRAPA, 2013 - Tecnologias de produção de soja – Região Central do Brasil 2014. – Londrina: Embrapa Soja, 2013

SANTOS, F.C.; NEVES, J.C.L.; NOVAIS, R.F.; ALVAREZ V., V.H.; SEDIYAMA, C.S. Modelagem da recomendação de corretivos e fertilizantes para a cultura da soja. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 32, p. 1661-1674, 2008.